• capa-blog-festival
    Festival de Clipes e Bandas

    O maior evento para novos talentos do videoclipe e da música no Brasil.   O Festival de Clipes e Bandas

    Música
  • destaque
    Visitando o Sr. Green

    Religião, tabus, conflito de gerações: Até que ponto toleramos o outro? Após quase atropelar Sr. Green (Sergio Mamberti), um viúvo

    Artes Cênicas
  • Cidade Ademar
    Escola de Trovadores

    Formação musical para crianças e adolescentes realizada pelo Instituto Trovadores Urbanos. Na Escola de Trovadores, crianças e adolescentes recebem aulas

    Música

Projetos

Você está vendo os artigos na categoria “Artes Cênicas”

Repertório Infantil da Cia. Le Plat du Jour

A premiada Cia. Le Plat du Jour realizou temporada a preços populares.

Formada por Alexandra Golik e Carla Candiotto,  a companhia realizou uma mostra com seu premiado repertório infantil que trabalha clássicos universais da literatura infantil com uma linguagem própria, no Teatro Cosipa. Com ingressos a preços populares, a companhia apresentou os espetáculos João e Maria, Os Três Porquinhos, Chapeuzinho Vermelho e Peter Pan.

Como contrapartida social, o projeto realizou apresentações gratuitas no Teatro da Vila.

O Repertório Infantil da Cia. Le Plat du Jour teve como um de seus patrocinadores a Wyeth.


Temporada Cia. La Mínima

A Cia. La Mínima apresentou seu repertório em uma breve temporada que, através do espírito circense, sensibilizou o público para o prazer das artes.

Com entrada a preços populares e dois meses em cartaz, o projeto Temporada Cia. La Mínima cumpriu sua premissa de incentivar o acesso da população à cultura através da presença de um público renovado, além daqueles que acompanham a trajetória da Companhia. O objetivo de democratização artística se completou com a presença de convidados ligados a instituições de cunho social.

Ao final do projeto, mais de quatro mil pessoas tiveram a oportunidade de assistir aos consagrados espetáculos À La Carte, A Noite dos Palhaços Mudos e O Médico e os Monstros.

A Temporada Cia. La Mínima foi patrocinado pela Pfizer.


Tirando um Som da Garagem

Espetáculo teatral é fruto de processo conjunto entre a premiada Cia. O Grito e mais de cem jovens.

Na peça, cinco jovens resolvem montar uma banda de garagem e convivem com os dilemas da idade, das dificuldades do processo de amadurecimento e de como produzir arte no mundo de hoje. No projeto, 105 jovens participaram diretamente do processo de criação do espetáculo através de atividades de direção, interpretação, dramaturgia, cenário, figurino, iluminação e criação musical.

O resultado: um espetáculo para jovens e feitos por jovens, em que questões importantes para toda sociedade são discutidas a partir de um ponto de vista muito singular.

Com patrocínio da Fundação Nestlé Brasil, o espetáculo Tirando um Som da Garagem atingiu mais de 20 mil espectadores em CEU’s espalhados por toda cidade de São Paulo.


A Alma Boa de Setsuan

Comédia conta a saga de Chen Tê através de parábolas.

Três deuses chineses vêm a Terra em busca de uma alma boa. Ao chegar à província de Setsuan, encontram Chen Tê, prostituta interpretada por Denise Fraga, que é a única pessoa que se dispõe a dar-lhes um teto para dormir. Por sua generosidade, os deuses concluem ser ela a alma boa que tanto procuravam e resolvem presenteá-la com uma recompensa em dinheiro, o suficiente para Chen Tê mudar de vida. Então, os moradores da cidade começam a abusar de sua bondade. Para se livrar dos importunos e exploradores, Chen Tê desaparece.

Como ser bom e ao mesmo tempo sobreviver no mundo competitivo em que vivemos?

Esta é a questão levantada na peça A Alma Boa de Setsuan, patrocinado pela Wyeth e GRSA.


Acorda Brasil!

Espetáculo inspirado em projeto social de Heliópolis percorreu CEU’s da cidade de São Paulo.

A trajetória da Sinfônica de Heliópolis é o tema da peça Acorda Brasil!. Inspirada no trabalho realizado pelo Instituto Baccarelli com jovens em situação de risco da comunidade de Heliópolis, na cidade de São Paulo, o texto de Antônio Ermírio de Moraes traz aos palcos uma história de superação que nos serve como ponto de partida para pensar soluções criativas para os problemas sociais do Brasil.

Dirigido por José Possi Neto, o espetáculo conta com participação de jovens participantes de curso de formação artística do Instituto Baccarelli, sediado na comunidade de Heliópolis na zona sul de São Paulo. A Sinfônica Heliópolis também se apresentou neste espetáculo.

Na peça, os jovens do Instituto Baccarelli contracenaram com atores consagrados em uma história que apresenta a educação como melhor caminho para transformar a realidade. O espetáculo estimulou a sociedade a tomar atitudes para combater o problema da educação e da baixa procura por manifestações artísticas em locais carentes.

A peça conta a história do jovem Laerte, interpretado por Petrônio Gontijo, violinista aspirante a uma vaga na Orquestra Sinfônica Municipal, que acaba estagiando em uma escola municipal lecionando música. Apesar do descaso com o ensino público, ele encontra Capilé, VR e outras crianças promissoras que precisam somente de um incentivo para desenvolver seus talentos musicais.

Lutando contra a desconfiança por parte dos alunos e o conformismo da diretora que não acredita mais na socialização dos garotos, Laerte persiste na idéia de dar a esses jovens uma oportunidade para que eles ingressem com dignidade na sociedade.

Depois de uma temporada de sucesso em teatro, o espetáculo Acorda Brasil! circulou por CEU’s de todas as regiões da cidade de São Paulo em apresentações gratuitas, com patrocínio do Instituto Votorantim.


O Beco

Inspirada na obra homônima de Patrícia Engel Secco, o espetáculo teatral O Beco  é recheado de histórias que permeiam o universo jovem.

A peça tem como cenário a cinzenta cidade de São Paulo, na qual Gilberto vive as desventuras cotidianas de um período rico em transformações. Passeando pelas ruas de sua cidade Gilberto vai parar no Beco, um lugar considerado perigoso por reunir muitos pichadores e garotos excluídos da sociedade.

Quando chega ao Beco, Gilberto se encontra com o pichador Garisteu, considerado o maior encrenqueiro do bairro, e a com a jovem Caru. Após muita confusão Gilberto e seus amigos, Caru e Garisteu, encontram o caminho para a transformação.

Juntos, os jovens descobrem que o Beco, um lugar verdadeiramente deles, pode ser mudado: assim a pichação vira grafite e o Beco  um lugar onde os jovens se encontram para fazer arte.

O espetáculo O Beco foi patrocinado pela Fundação Nestlé Brasil e pela Wyeth.


Energias da Criação

Energias da Criação: uso consciente da energia de forma acessível a todos.

Projeto criado especialmente para percorrer um circuito de cidades pouco atendidas por ações culturais no estado do Tocantins, o espetáculo Energias da Criação une teatro e música para falar sobre a energia em suas diversas formas.

Da origem do universo ao amor como forma de energia, o espetáculo passa pelas descobertas da humanidade e chega à energia elétrica presente no cotidiano. Criado pela ONG Teatro de Tábuas, grupo teatral especializado em cultura itinerante, a peça foi apresentada em escolas de cidades que raramente recebem apresentações artísticas, atingindo diversas faixas etárias.

O público aprende formas impróprias de utilização de energia e  sua utilização de forma consciente, ao mesmo tempo em que a questão do uso sustentável para a conservação do planeta é ressaltada: tudo de uma forma lúdica.

Se valendo de diversos recursos cênicos, a peça contribui para a formação de cidadãos mais conscientes da importância do uso correto da energia. Por sua facilidade em dialogar com todos os públicos e pela sua pertinência e abrangência na abordagem do tema, o espetáculo Energias da Criação circula há cinco anos por diversas regiões do país.

Em 22 apresentações realizadas em cidades do interior do Tocantins, em sua primeira temporada, mais de 6.000 pessoas assistiram ao espetáculo Energias da Criação, patrocinado pela Rede Energia.