• capa-blog-festival
    Festival de Clipes e Bandas

    O maior evento para novos talentos do videoclipe e da música no Brasil.   O Festival de Clipes e Bandas

    Música
  • destaque
    Visitando o Sr. Green

    Religião, tabus, conflito de gerações: Até que ponto toleramos o outro? Após quase atropelar Sr. Green (Sergio Mamberti), um viúvo

    Artes Cênicas
  • Cidade Ademar
    Escola de Trovadores

    Formação musical para crianças e adolescentes realizada pelo Instituto Trovadores Urbanos. Na Escola de Trovadores, crianças e adolescentes recebem aulas

    Música

Projetos

Festival de Clipes e Bandas

O maior evento para novos talentos do videoclipe e da música no Brasil.

Arnaldo Antunes, um dos artistas convidados da 2ª edição.

 

O Festival de Clipes e Bandas é o maior evento para novos talentos do videoclipe e da música do Brasil e conta com a participação especial de artistas convidados no júri e nos shows finais.

Clipes: cada artista convidado escolhe uma música para que os participantes do Festival façam um videoclipe.  Já participaram de edições anteriores: Gilberto Gil, Arnaldo Antunes, Fernanda Takai, Tom Zé, Marcelo Jeneci, Tulipa Ruiz, Karina Buhr, Céu, Inocentes, Blubell e Projota.

Bandas: concurso de novos talentos da música. Os artistas convidados escolhem as melhores bandas para abrir seus shows no encerramento do Festival. A melhor banda ganha a gravação de um videoclipe.

Fernanda Takai, artista convidada da 3ª edição.

 

O Festival acontece na internet, nas redes sociais e ao vivo.

Os videoclipes e as bandas são avaliados pelo júri, pelos artistas convidados e pelo público.

Vencedores de 2015 para “Melhor Videoclipe para Fernanda Takai”, “Prêmio do Público” e “Prêmio do Patrocinador”.

 

Na 4ª edição os artistas convidados foram Baby do Brasil, Jards Macalé, Mart’nália, BNegão & Seletores de Frequência e Dexter.

O encerramento do Festival, com shows e cerimônia de premiação, aconteceu em Março no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Trident e Halls foram patrocinadores da 4ª edição do Festival de Clipes e Bandas.

No site: clipesebandas.com.br, é possível acessar o acervo de todas as edições do Festival.


Escola de Trovadores

Formação musical para crianças e adolescentes
realizada pelo Instituto Trovadores Urbanos.

Na Escola de Trovadores, crianças e adolescentes recebem aulas semanais de canto e expressão corporal. A metodologia é a mesma utilizada na  formação dos Trovadores Mirins, projeto existente desde 1995 no qual os participantes recebem formação musical diferenciada preparando-os para se apresentarem em shows e eventos públicos. A fim de permitir que estudantes de escolas públicas possam receber a mesma formação musical, porém de forma gratuita, o Instituto Trovadores Urbanos criou o projeto Escola de Trovadores.

A Escola de Trovadores possui 02 polos de musicalização. Em 2013 foi implantado o núcleo de Cidade Ademar (Zona Sul de São Paulo) na Escola Estadual Profa. Joanna Abrahão; em 2015 foi implantado o núcleo na Escola Municipal de Ensino Fundamental Antônio Pinto De Campos, na cidade de Cajamar, com o patrocínio da Votorantim Cimentos e do Instituto Votorantim.

Em cada núcleo, aproximadamente 80 crianças e adolescentes participam de aulas semanais de Canto, de Ritmo, de Expressão Corporal e de construção de instrumentos musicais com material reciclado. As aulas acontecem no contraturno escolar. O projeto também contempla atividades para os pais e oficinas para professores, coordenadores e equipe das escolas.

A cada final de ano, os alunos da Escola de Trovadores apresentam-se publicamente para a comunidade, tendo como convidados especiais os Trovadores Urbanos.

Assista o vídeo de apresentação da Escola de Trovadores, Núcleo Cajamar:


A Música Venceu

Primeiro polo de ensino de música erudita da Fundação Bachiana Filarmônica funciona na E.E. Friedrich Von Voith, no bairro do Jaraguá em São Paulo.

Idealizado pelo maestro João Carlos Martins, o projeto A Música Venceu oferece aulas de iniciação e formação musical para crianças e jovens em bairros carentes de São Paulo.

O projeto estimula nessa população, habitualmente carente de eventos culturais, o despertar da musicalidade própria.

A participação do jovem neste projeto proporciona o contato com um mundo totalmente novo.

O núcleo do projeto no bairro do Jaraguá teve início no ano de 2007. O crescimento ano a ano do projeto e deste núcleo culminou na formação da Orquestra de Câmara da escola.

A Orquestra de Câmara tem se apresentado em vários espaços no bairro, como outras escolas públicas da vizinhança. Este relacionamento com a região se tornou efetivo a ponto do grupo se tornar referência para a comunidade local.

Nessas fotos alunos do projeto A Música Venceu são regidos pelo Maestro João Carlos Martins durante a abertura de concerto da Orquestra Filarmônica Bachiana SESI-SP, na Sala São Paulo.

O núcleo do Jaraguá do projeto A Música Venceu é patrocinado pelas empresas do Grupo Voith.


Julietas

A Cia. de Inventos discute os desafios da adolescência nesta releitura de Romeu e Julieta.

O espetáculo reflete sobre o comportamento do adolescente no mundo de hoje: sua instabilidade, as mudanças no corpo, na alma e suas dúvidas. Tudo de forma leve, poética e com linguagem acessível.

Enfatizando a importância do amor, sentimento fundamental a qualquer ser humano, e propondo ao jovem reflexões sobre responsabilidade e respeito por si e pelo próximo, Julietas leva de forma adequada temas como experiências, descobertas e escolhas próprias dessa fase da vida.

Antes do espetáculo os espectadores recebiam uma breve contextualização sobre a releitura do clássico Romeu e Julieta, direcionada para o jovem  do mundo contemporâneo, seu autor e como a peça permanece atual.

Se valendo de elementos comuns ao universo jovem – como o Graffiti e o Rap – para aproximar os adolescentes das questões ali debatidas, o espetáculo foi muito bem recebido pela platéia em todas as apresentações gratuitas por CEU’s da cidade de São Paulo, na cidade de Campinas e Votorantim.

O espetáculo Julietas foi patrocinado pelo Instituto Votorantim.


Sambazz

O cantor Jair Oliveira comemorou 30 anos de carreira com o projeto Sambazz.

Circulando por algumas das principais universidades do estado de São Paulo, o projeto cultural Sambazz: Workshop Show, levou gratuitamente shows e bate papos sobre o mercado fonográfico a estudantes.

Baseado no álbum homônimo, composto por livro e CD, Jair Oliveira levou toda sua bagagem musical, acumulada ao longo de 30 anos de carreira, em apresentações musicais seguidas de bate papo sobre o atual mercado fonográfico a estudantes e público em geral.

O projeto Sambazz: Workshop Show foi patrocinado pela Diageo.


Princesa, Eu?

Espetáculo percorre o universo adolescente com olhar feminino.

A peça Princesa, Eu? conta a trajetória de vida de Liz, desde a puberdade até o início de sua vida adulta. Traz ao palco, de forma poética, o momento delicado da adolescência. Possibilita a identificação pessoal e estimula a reflexão sobre essa fase especial da vida.

Liz era assim, pequenita, doce e meiga. Uma criança querida por todos. Filha única e amada de Clô e Theobaldo, Liz era assim, suave, apesar dos atropelos dos adultos. Feminina. Sua vida era tranquila, cheia de fantasias, sonhos e brincadeiras, mas ninguém a avisara que esta fase mágica a transformaria.

A dramaturgia deste espetáculo possui linhas e planos para estabelecer uma comunicação eficaz com adolescentes, público do espetáculo. Contou a história ora evidenciando o universo interno da personagem através de elementos poéticos, ora sua vida cotidiana em cenas com características mais realistas.

Apesar de retratar a adolescência com um olhar feminino, a peça aborda também os dramas vividos pelos meninos adolescentes.

Patrocinado pela MSD e realizado pela Cia. de Inventos, o projeto Princesa, Eu? entende que o teatro para jovens é um facilitador de aprendizado. Um aprendizado de sentido amplo, no qual o teatro inspira o desenvolvimento humano em todas as suas potencialidades.


Produto Instrumental Bruto | PIB

O PIB, Produto Instrumental Bruto, é um festival que promove a atual música instrumental brasileira.

Em 2010 ocorreu a terceira edição do PIB, festival de música instrumental que possui o conceito de lapidação musical e desconstrução de estilos, buscando sempre experimentações sonoras. Em quatro dias de shows, 16 bandas de diversos estilos musicais e regiões do país se apresentaram sob a projeção de imagens de um VJ para cada dia.

Além das apresentações musicais, o projeto contou com seis oficinas musicais, um debate sobre a música instrumental brasileira, uma feira cultural e uma exposição com os melhores momentos do PIB.

Diversidade e experimentação em diversas linguagens, esta é a marca deste festival patrocinado pela Diageo.


Muradas

O projeto Muradas foi responsável pela revitalização do

“Beco da Vila Madalena”.

Realizado sob a forma de Intervenções Culturais, o projeto Muradas contou com a participação de artistas das cinco regiões da cidade de São Paulo. Cada dia de intervenção se tornou um acontecimento no bairro pois, além da pintura dos muros, ocorreram apresentações com grupos musicais e cênicos.

O projeto contou com a realização da ONG Cidade Escola Aprendiz, que ajudou a trazer artistas de regiões afastadas da Vila Madalena, bem como contribuiu para o envolvimento da comunidade.

O projeto Muradas foi patrocinado pela Sherwin Williams.


Tirando um Som da Garagem

Espetáculo teatral é fruto de processo conjunto entre a premiada Cia. O Grito e mais de cem jovens.

Na peça, cinco jovens resolvem montar uma banda de garagem e convivem com os dilemas da idade, das dificuldades do processo de amadurecimento e de como produzir arte no mundo de hoje. No projeto, 105 jovens participaram diretamente do processo de criação do espetáculo através de atividades de direção, interpretação, dramaturgia, cenário, figurino, iluminação e criação musical.

O resultado: um espetáculo para jovens e feitos por jovens, em que questões importantes para toda sociedade são discutidas a partir de um ponto de vista muito singular.

Com patrocínio da Fundação Nestlé Brasil, o espetáculo Tirando um Som da Garagem atingiu mais de 20 mil espectadores em CEU’s espalhados por toda cidade de São Paulo.


Acorda Brasil!

Espetáculo inspirado em projeto social de Heliópolis percorreu CEU’s da cidade de São Paulo.

A trajetória da Sinfônica de Heliópolis é o tema da peça Acorda Brasil!. Inspirada no trabalho realizado pelo Instituto Baccarelli com jovens em situação de risco da comunidade de Heliópolis, na cidade de São Paulo, o texto de Antônio Ermírio de Moraes traz aos palcos uma história de superação que nos serve como ponto de partida para pensar soluções criativas para os problemas sociais do Brasil.

Dirigido por José Possi Neto, o espetáculo conta com participação de jovens participantes de curso de formação artística do Instituto Baccarelli, sediado na comunidade de Heliópolis na zona sul de São Paulo. A Sinfônica Heliópolis também se apresentou neste espetáculo.

Na peça, os jovens do Instituto Baccarelli contracenaram com atores consagrados em uma história que apresenta a educação como melhor caminho para transformar a realidade. O espetáculo estimulou a sociedade a tomar atitudes para combater o problema da educação e da baixa procura por manifestações artísticas em locais carentes.

A peça conta a história do jovem Laerte, interpretado por Petrônio Gontijo, violinista aspirante a uma vaga na Orquestra Sinfônica Municipal, que acaba estagiando em uma escola municipal lecionando música. Apesar do descaso com o ensino público, ele encontra Capilé, VR e outras crianças promissoras que precisam somente de um incentivo para desenvolver seus talentos musicais.

Lutando contra a desconfiança por parte dos alunos e o conformismo da diretora que não acredita mais na socialização dos garotos, Laerte persiste na idéia de dar a esses jovens uma oportunidade para que eles ingressem com dignidade na sociedade.

Depois de uma temporada de sucesso em teatro, o espetáculo Acorda Brasil! circulou por CEU’s de todas as regiões da cidade de São Paulo em apresentações gratuitas, com patrocínio do Instituto Votorantim.