• capa-blog-festival
    Festival de Clipes e Bandas

    O maior evento para novos talentos do videoclipe e da música no Brasil.   O Festival de Clipes e Bandas

    Música
  • destaque
    Visitando o Sr. Green

    Religião, tabus, conflito de gerações: Até que ponto toleramos o outro? Após quase atropelar Sr. Green (Sergio Mamberti), um viúvo

    Artes Cênicas
  • Cidade Ademar
    Escola de Trovadores

    Formação musical para crianças e adolescentes realizada pelo Instituto Trovadores Urbanos. Na Escola de Trovadores, crianças e adolescentes recebem aulas

    Música

Projetos

Emcena Brasil

Um caminhão que leva cultura para as cidades do interior.

Caminhões vêm e vão a todo instante, levando diversos tipos de carga. O caminhão do Emcena Brasil é diferente: carrega diversos espetáculos e deixa, nos locais por onde passa, a lembrança de dias repletos de alegria e cultura!

O caminhão transporta um container adaptado para palco, com toda a infraestrutura de luz, som, tela de cinema e outros equipamentos necessários para realizar espetáculos para grandes plateias.

400 cadeiras são posicionadas de frente para o palco.  E por último, uma grande tenda é montada afim de proporcionar conforto aos artistas e também à plateia.

A programação contempla atividades durante o dia e à noite.  Tudo com entrada gratuita: contação de histórias, oficinas, gibiteca, teatro infantil e adulto, circo, além de apresentações de artistas locais.

O projeto Emcena Brasil já visitou mais de 250 cidades de todo o Brasil.

Em 2015, com o patrocínio da Votorantim Cimentos, o Emcena Brasil visitou Araçariguama, Itapeva, Ribeirão Grande, Salto de Pirapora e Taubaté.


Sinfonia Seresteira

Sinfonia Seresteira apresenta o encontro do erudito com o popular para contar a história da Música Popular Brasileira.

Sinfonia Seresteira resgata a história da música brasileira – a chegada da música erudita, trazida pelos portugueses, e sua popularização por meio das modinhas que ganharam a rua ao som de violões e vozes de seresteiros.

Nas apresentações, a música erudita é executada pelo Quinteto Bachiana e a música popular brasileira é apresentada na voz dos Trovadores Urbanos, carinhosamente apelidados de “Seresteiros do Brasil”.

Como forma de reproduzir com maior fidelidade o cenário musical brasileiro daquela época e também de envolver os espectadores na apresentação, foi planejado um final inédito: o Quinteto Bachiana e os Trovadores Urbanos saem tocando pelas ruas da cidade acompanhados dos espectadores, como era feito nas antigas serestas. Durante o trajeto, convidam os moradores a se juntarem ao cortejo musical.

O Quinteto inicia apresentando trechos curtos de algumas das composições eruditas mais conhecidas do público (Bach, Beethoven, Mozart, Strauss, etc);

Em seguida é a vez da Música Popular Brasileira na voz dos Trovadores Urbanos (Carinhoso, Minha namorada, Se todos fossem iguais a você, Trem das Onze, etc).

Ao final, Trovadores Urbanos e Quinteto Bachiana descem do palco e vão ao encontro dos espectadores convidando-os a seguirem em uma Sinfonia Seresteira, na qual artistas e plateia cantam formando um grande coro.

Uma apresentação que resgata as tradicionais serestas de antigamente e encanta o público com sua performance, recriando o cenário musical brasileiro do século XIX.

Em 2013 foram realizadas 12 apresentações de Sinfonia Seresteira pelo estado de São Paulo com o patrocínio do Grupo EDP.

Veja também um vídeo realizado pelo Instituto EDP sobre o projeto Sinfonia Seresteira


Toca Atitude

O projeto Toca Atitude leva música erudita para periferia da cidade de São Paulo.

Desde 2006 o Toca Atitude realiza apresentações da Orquestra Filarmônica Bachiana SESI-SP, que contam com a regência do maestro João Carlos Martins, pela periferia paulistana. O repertório é escolhido especialmente para essas apresentações que possuem caráter educativo. Os concertos são didáticos na medida em que são executados os primeiros movimentos da obra escolhida e em seguida o maestro comenta a música, seu compositor e o contexto histórico da época. Tudo tendo em vista a sensibilização dos alunos para a arte erudita. Assim, a democratização cultural é proporcionada tanto pela abordagem das apresentações quanto pela escolha dos locais.

Toca Atitude: levando apresentações de música clássica para jovens de atitude, possibilitando novas experiências culturais.

Continuando o trabalho de democratização cultural com jovens carentes da periferia paulistana, a Fundação Bachiana Filarmônica desenvolve o projeto Musicalização em Bairros da Periferia de São Paulo.

Este projeto promove o desenvolvimento de atividades de excelência e referência na formação musical, onde a inclusão social se dá por meio da difusão e do ensino da música clássica e erudita. Além de complementar e estimular os estudos regulares nas escolas, a participação do jovem neste projeto proporciona o contato com um mundo totalmente novo, bem como a possibilidade de um futuro no mundo da música.

A Camerata Bachiana é formada por jovens integrantes do projeto Musicalização em Bairros da Periferia de São Paulo, realizado na comunidade de Paraisópolis. Os jovens recebem instruções personalizadas para seu nível de desenvolvimento e preparação necessária para estarem aptos a realizar apresentações regulares, inclusive ao lado do maestro João Carlos Martins.

Essas ações culturais, Toca Atitude, Musicalização em Bairros da Periferia de São Paulo, núcleo da comunidade de Paraisópolis, e Camerata Bachiana, formada por alunos deste núcleo, são patrocinadas pelo Instituto Votorantim.


Casa de Todos

Trovadores Mirins apresentam repertório que nos lembra a importância de cuidar de nosso planeta: a Casa de Todos.

Afim de manter a tradição das serenatas e incentivar o gosto das crianças e adolescentes pela Música Popular Brasileira, em 1995 os Trovadores Urbanos deram início ao grupo vocal “Trovadores Mirins”.

Crianças entre quatro e quatorze anos recebem formação musical e se apresentam  em variadas situações e lugares: eventos públicos, homenagens, datas comemorativas, entre outros.

O espetáculo Casa de Todos leva 10 espetáculos dos Trovadores Mirins a parques da cidade de São Paulo, sob regência de Lucila Novaes.

O repertório traz, numa linguagem fácil e lúdica, canções que abordam o tema Sustentabilidade, sob a ótica infantil. Reforçando com a naturalidade da voz e do olhar das crianças a importância de cuidarmos do nosso planeta, a “casa de todos”.

A palavra ecologia tem origem no grego, ela é formada pelas palavras “oikos”, que significa casa, e “logos”, que significa estudo. Logo, por extensão, a palavra ecologia significa o estudo da casa: da casa de todos, do nosso planeta.

Durante a apresentação uma grande bola representando o Planeta Terra entra em cena.

Um figurino especial foi produzido para este espetáculo. Todos os Trovadores Mirins usam roupas e adereços feitos de materiais recicláveis como garrafas pet, tampinhas de garrafa, cordões de algodão orgânico, sacos de batata coloridos e jornal.

Ao final de cada apresentação, as  crianças da plateia recebem papel e giz de cera para colorir o planeta.

O projeto Casa de Todos foi patrocinado pela Mondelez.


Cantando por um Mundo Melhor

Com repertório que remete a memória musical afetiva, os Trovadores Urbanos se apresentaram por todo interior paulista afinando emoções.

O projeto Cantando por um Mundo Melhor, do grupo Trovadores Urbanos, realiza apresentações musicais e oficinas de musicalização para crianças pelo interior do estado de São Paulo. As crianças participantes da oficina fazem uma participação especial em cada apresentação.

Com um espetáculo delicado, comovente e brasileiro, o projeto Cantando por um Mundo Melhor levou clássicos da música popular brasileira a 14 cidades do interior paulista. Ao final do projeto, os Trovadores Urbanos se apresentaram no Auditório Ibirapuera com a participação especial dos Trovadores Mirins, grupo vocal infantil desenvolvido pelos Trovadores Urbanos.

O projeto Cantando por um Mundo Melhor foi patrocinado pela Duratex e apoiado pelas empresas Clariant e Mangels.


HB Coreto

Orquestra HB viajou pelo interior paulista apresentando repertório especial para apresentações em coretos.

A orquestra Heratbreakers, liderada pelo músico Guga Stroeter, apresentou versões inéditas para clássicos como Carinhoso, Maracangalha e Tocar na Banda em coretos de praças do interior paulista.

Proporcionando uma retomada do universo das orquestras de coreto e aguçando a audição dos ouvintes para uma música instrumental elaborada, este projeto buscou a formação de público para música instrumental, além da revitalização das praças e o resgate da cultura popular.

A retomada desse universo traz não só a valorização do músico instrumentista como a oportunidade de ouvir e interpretar clássicos que foram fundamentais para a formação da música popular brasileira

A história dos coretos nas cidades brasileiras data de fins do século XIX e início do século XX, numa época em que a maneira da comunidade expressar sua musicalidade democraticamente era tocar em praça pública.

HB Coreto, um projeto simples, mas de grande alcance cultural e pedagógico patrocinado pela Rede Energia.


Cia. La Mínima nos Parques

A população da cidade de São Paulo pôde assistir a

Cia. La Mínima em parques da cidade.

Em comemoração ao Dia Mundial da Saúde, a Cia. La Mínima levou seus espetáculos “Reprise” e “Luna Parke” para parques da cidade de São Paulo, em apresentações gratuitas. Seis diferentes lugares serviram como palco para os atores da companhia.

A arte do palhaço de picadeiro e toda tradição circense são a base de trabalho dos atores Domingos Montagner e Fernando Sampaio, que formaram a Cia. La Mínima em 1997. Com diversos trabalhos,  a premiada companhia possui como marca registrada a qualidade estética e a democratização cultural, por levar espetáculos gratuitos à população.

As apresentações da Cia. La Mínima em parques da cidade de São Paulo foram patrocinadas pela Pfizer.


Itinerância Cia. La Mínima

A Cia. La Mínima levou os espetáculos “Reprise” e “Luna Parke” a cinco cidades do interior paulista.

As duas montagens são verdadeiros “clássicos” da companhia que, ao longo de 13 anos de trajetória, une qualidade estética e democratização cultural.

Este projeto permitiu à população de Adamantina, Assis, Bragança Paulista, Catanduva e Presidente Prudente o acesso gratuito a espetáculos qualificados, contribuindo para formação de público para teatro no interior paulista.

As apresentações gratuitas ocorreram aos sábados e domingos, em locais abertos com intuito de beneficiar o maior público possível.

Com patrocínio da Rede Energia, a Cia. La Mínima pôde levar sua arte ao interior.


Minuto Escola

Minuto Escola incentiva a produção de vídeos de até 1 Minuto por alunos da rede pública.

Minuto Escola é um concurso cultural feito especialmente para alunos do ensino médio de escolas públicas de todo estado de São Paulo. Através da produção de vídeos de até 1 Minuto, com tema livre, estudantes participaram deste concurso que privilegia a participação jovem através da linguagem audiovisual.

Complementando o concurso, que faz parte do Festival do Minuto, este projeto realizou workshops com coordenadores de artes em escolas públicas para instrumentalizá-los sobre o formato do vídeo-minuto. Cada uma das escolas recebeu um DVD educativo com vídeos do acervo do Festival, depoimentos dos realizadores, comentários do curador Marcelo Masagão e dicas sobre programas gratuitos de edição de imagem e som, que podem ser usados pelos alunos na produção de seus trabalhos.

Patrocinado pelo Instituto Votorantim, este projeto contou com o Minuto Móvel: caminhão equipado com som e vídeo que visitou diversas escolas por todo estado de São Paulo.

A ideia do projeto Minuto Escola é estimular o uso pedagógico do audiovisual nas escolas.


Energias da Criação

Energias da Criação: uso consciente da energia de forma acessível a todos.

Projeto criado especialmente para percorrer um circuito de cidades pouco atendidas por ações culturais no estado do Tocantins, o espetáculo Energias da Criação une teatro e música para falar sobre a energia em suas diversas formas.

Da origem do universo ao amor como forma de energia, o espetáculo passa pelas descobertas da humanidade e chega à energia elétrica presente no cotidiano. Criado pela ONG Teatro de Tábuas, grupo teatral especializado em cultura itinerante, a peça foi apresentada em escolas de cidades que raramente recebem apresentações artísticas, atingindo diversas faixas etárias.

O público aprende formas impróprias de utilização de energia e  sua utilização de forma consciente, ao mesmo tempo em que a questão do uso sustentável para a conservação do planeta é ressaltada: tudo de uma forma lúdica.

Se valendo de diversos recursos cênicos, a peça contribui para a formação de cidadãos mais conscientes da importância do uso correto da energia. Por sua facilidade em dialogar com todos os públicos e pela sua pertinência e abrangência na abordagem do tema, o espetáculo Energias da Criação circula há cinco anos por diversas regiões do país.

Em 22 apresentações realizadas em cidades do interior do Tocantins, em sua primeira temporada, mais de 6.000 pessoas assistiram ao espetáculo Energias da Criação, patrocinado pela Rede Energia.